Franquias internacionais: por que investir é uma boa ideia

As redes estrangeiras no Brasil vêm principalmente dos Estados Unidos (40%), Portugal (10,5%) e Argentina (7%)

Atualmente, cerca de 200 redes estrangeiras de 26 países atuam no Brasil. Os números são da pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), que aponta ainda que a quantidade de franquias vindas do exterior é, inclusive, maior do que as brasileiras que se internacionalizaram: são 142 redes de franquias nacionais atuando em 100 diferentes países. 

 

O ramo da alimentação é o grande líder dos segmentos com 25% de abrangência. Em seguida, Saúde, Beleza e Bem Estar e Moda aparecem com 16% e Serviços Educacionais com 11%. No ranking, as áreas de Hotelaria e Turismo, Casa e Construção, Serviços, Serviços Automotivos, Limpeza e Conservação, Comunicação, Informática e Eletrônicos e Entretenimento e Lazer também estão presentes. 

 

Muitos empreendedores brasileiros estão apostando alto para trazer ao País marcas de expressão internacional. No entanto, engana-se quem pensa que o processo depende somente do desejo do empresário. 

 

Redes internacionais costumam exigir comprovação de renda e experiência em outros empreendimentos, afinal, investir em um país de fora é um grande passo para qualquer empresa. Deste modo, esta modalidade é aconselhada para aqueles que já estão no ramo há mais tempo e dominam a arte dos negócios. 

 

O primeiro passo é um contato direto com a empresa escolhida. Isso exige tempo, dedicação na pesquisa e investimento. 

 

De maneira geral, a rede e o possível franqueado conversam sobre os custos, apoio que será dado e recebido, riscos, regiões e adaptações – necessárias ou não – para que o produto ou serviço venha para terras brasileiras. Em uma negociação dessas, há toda uma discussão de fornecimento de matéria-prima, royalties, comunicação e construção da marca. 

 

A questão cultural também é um ponto importantíssimo neste trâmite. Uma marca que dá certo em um determinado país não é influenciada somente pelo que ela oferece, mas por todo o contexto onde ela está inserida. Os costumes, gostos e hábitos são primordiais para entender se o que está sendo trazido terá chances de sucesso ou não. 

 

Implantada a franquia, há um período chave que servirá de termômetro para os próximos passos. Estes primeiros meses indicarão se é preciso alterar o modelo de negócios ou se são necessárias modificações até mesmo simples, como traduções e abordagem com o público.

 

Ter uma franquia internacional é um processo trabalhoso, mas promissor neste mercado que cresce a cada dia.


Categoria(s): Franquias