Pesquisa inédita revela o perfil das microfranquias no País

Modelo é considerado uma boa alternativa para quem pretende entrar ou se recolocar no mercado

Em 2016, cerca de 560 marcas operavam com unidades de microfranquias, seja exclusivamente ou de forma paralela ao modelo tradicional. Uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Franchising (ABF) revela ainda que, entre as empresas que ainda não trabalham com este formato, 36% declararam que pretendem desenvolvê-lo neste ano.

Para ser uma microfranquia, o investimento total não pode passar de R$ 90 mil. Esse valor considera a taxa de franquia, a verba necessária para montar a estrutura – loja ou quiosque, por exemplo – e o capital de giro, que é o dinheiro investido no primeiro momento do empreendimento.  

Para a diretora de microfranquias da ABF, Adriana Auriemo, essa é uma forma de entrada para o mundo empresarial. “É a oportunidade que existe de pessoas que não teriam recursos para investir em algo maior. Em muitos países, a microfranquia é vista como algo social, algo positivo para a comunidade de uma maneira geral”, afirma ao Portal Sociedade de Negócios

Em relação ao Pró-labore – remuneração do administrador pelo trabalho na empresa, a média é de R$ 3.611,00 mensais para as franqueadoras que oferecem ambos os formatos. Nas redes exclusivas de microfranquias, o valor sobe para R$ 3.819,00 ao mês. Os montantes não incluem o lucro das operações.

A pesquisa aponta ainda que o franqueado tem, predominantemente, entre 26 e 35 anos. De acordo com Adriana, isso é resultado de uma mudança no comportamento das novas gerações. “O jovem hoje quer ter o empreendimento dele e ser dono do próprio nariz. Quem está começando na carreira não tem tanto dinheiro assim para investir, então a microfranquia acaba sendo uma boa opção.” 

No entanto, apesar de ser majoritária, não é somente esta nova geração que é atraída para o negócio. “Há também aquelas pessoas que não estão satisfeitas com o mercado e as que estão fora dele”, afirma a diretora. 

Para 2017, a tendência é de crescimento no setor. 

“Hoje, há um número relevante de microfranquias no mercado e a variedade de serviços e produtos é um atrativo”, diz Adriana. Segundo ela, os setores de serviço, escolas e marketing digital têm mostrado crescimentos interessantes e devem ser observados de perto.  


Categoria(s): Franquias