Desafios da inclusão: como contratar uma pessoa com deficiência?

Hoje, existem quase 8 milhões de brasileiros com algum tipo de deficiência na idade economicamente ativa

Hoje, existem quase 8 milhões de brasileiros com algum tipo de deficiência na idade economicamente ativa

 

A Lei de Cotas é ainda o principal fator que leva as empresas a contratarem pessoas com deficiência (PCDs). De acordo com a pesquisa da i.Social, consultoria especializada na inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho, em parceria com a Catho, ABRH Brasil e ABRH-SP, a legislação é indicada como fator de inclusão prioritário por 88% dos profissionais de RH, 74% da alta liderança e 79% das PCDs.

 

Se a sua empresa conta com mais de 100 funcionários, a equipe deve ter de 2% a 5% de suas vagas para pessoas com deficiência. O Ministério do Trabalho é o órgão fiscalizador e pode aplicar multa caso a situação esteja irregular.

 

Ainda segundo o estudo, 57% das pessoas com deficiência que responderam a pesquisa estão “em alguma etapa” do 3º grau, sendo que 4% estão com uma pós-graduação em andamento, 8% com a pós-graduação concluída e 1% com mestrado.

 

Jaques Haber, sócio da i.Social, afirma que as pessoas com deficiência são, em geral, qualificadas. No entanto, falta informação para as empresas: “Quando a empresa contrata um PCD apenas para cumprir cota, ela comete um grande equívoco, pois o enfoque está na limitação e não no potencial do profissional. Valorizar a diversidade é o melhor caminho para incluir."

 

Seja como for, a inclusão de uma pessoa com deficiência em uma empresa precisa de alguns cuidados. O Portal Sociedade de Negócios separou algumas dicas para que o empreendedor tenha sucesso na hora da contratação:

 

Entrevista de emprego

 

Sem a preparação adequada, os profissionais de RH, gestores e diretores da empresa podem sentir dificuldade na hora da entrevista. Por isso, para que ela seja feita da melhor maneira, é indicado que o candidato informe antecipadamente quais são suas necessidades. Sendo assim, fica muito mais fácil prever os instrumentos adequados para cada tipo de deficiência, seja em forma de acessibilidade ou com a presença de um intérprete.

 

Acessibilidade

 

De acordo com a pesquisa da i.Social, cerca de 78% das pessoas com deficiência afirmam não precisar de nenhum tipo de ferramentas de acessibilidade. No entanto, há casos em que mudanças estruturais precisam ser implantadas. Rampas e banheiros adequados para cadeirantes e tecnologias assistivas são a base para qualquer empresa que deseja trabalhar a parte inclusiva.

 

Banco de currículos

 

Bancos de currículos servem para unir as melhores vagas para os candidatos mais adequados. Se a sua empresa está contratando uma pessoa com deficiência, a recomendação é fazer a consultoria com as companhias que realizam este tipo de trabalho. A i.Social, por exemplo, tem cerca de 100 mil talentos em seu banco, sendo que as pessoas com deficiência podem cadastrar seus currículos gratuitamente.

 


Categoria(s): Recursos Humanos