Sobre os desafios de ser um MEI. Tratar aqui

Por necessidade ou por desejo, o brasileiro tem buscado cada vez mais empreender, iniciando este ciclo pelo MEI. Mas você sabe quais etapas ele precisa superar?

O número de microempreendedores individuais não para de crescer. Dados do Portal do Microempreendedor Individual do Governo Federal revelam que, em meados de junho, o Brasil contava com 7.164.885 MEIs. Uma das respostas está na crise – quando, sem alternativas, mulheres e homens decidem se arriscar em um negócio próprio. Outra está no desejo de empreender, que tomou conta da cultura empresarial brasileira há pelo menos uma década e meia.

E a porta de entrada para esta regularização é a do MEI ou microempreendedor individual.

Para ser um deles, porém, apenas uma boa ideia e dedicação não bastam.

A boa notícia é que só depende de você mesmo para vencer. Características pessoais como tenacidade, visão de futuro, empenho e resiliência fazem o empreendedor se destacar na multidão.

E multidão, aqui, não é figura de linguagem: de acordo com a Serasa Experian, somente no ano passado, os MEIs representaram 78,4% dos novos negócios abertos no País, com 1,5 milhão de formalizações (CNPJ).

Cuidado com o caixa

Empreender significa, antes de mais nada, se arriscar. Portanto, coragem deve ser um atributo que não pode faltar ao MEI – seja antes ou durante a sua empreitada. Lembre-se que o mercado, independente do setor, é sempre competitivo, e muitas vezes saturado.

A primeira grande “armadilha” do MEI atende pelo nome de “finanças”: sem o devido controle, o empreendedor terá grandes chances de ver seu pequeno império ruir.

A cilada, aqui, é pensar como colaborador, quando na verdade você já é um empresário. E isso faz toda a diferença. Esquematizar antes de sair gastando, guardar dinheiro para reservas e contar custos demanda elasticidade e sabedoria, dois pontos pouco usuais para quem tinha salário fixo mensal, entre outras garantias, até bem pouco tempo.

 

Há mais.

Além da saúde financeira do negócio, da criação de um produto ou serviço de qualidade e da competição inerente ao negócio, o MEI precisa inovar sempre, seguir se atualizando e prospectar clientes permanentemente.

Isso sem contar o desenvolvimento de uma gestão do tempo própria, coerente com seus objetivos. Outras abordagens, conhecimentos em comunicação e Recursos Humanos, entre outros, também adicionarão farinha a este bolo.

Se você é MEI ou está em vias de se regularizar, o ideal é buscar ajuda de profissionais especializados. Caso o custo seja alto, procure informações em plataformas como o Portal Sociedade de Negócios, assista e participe de workshops na web e baixe eBooks gratuitos. Material de qualidade não falta para quem quer crescer!


Categoria(s): Seja um Empreendedor